2007-01-17

O HOMEM QUE ÉS

Tu és o demônio
Parido em mim,
Feito um anjo.

Com este olhar forte,
Este sorriso rio
Escorrendo no canto dos lábios...
...macio.

Anjo doce...
Expressão nobre,
Dono do gozo
Desta mulher que te gosta.

Uma vesga de olhar,
Uma brecha de lua cheia,
Exalando por entre tuas veias
a marca forte
Do teu gostar.

Quando te olho não te suponho
Nem imagino
Nem te como,
Porque és noite breve...
Fugaz.

Um homem,
Uma ventania que me sopra.
lua que me banha,
sol que me esquenta,
mar que umedece,
voz que me toca.

É o que vejo e sinto
Ao te ouvir e te olhar.


Maria Eugênia
S. Paulo, 16 de janeiro de 2007



2 comentários:

Carol disse...

Tens um belo traçado, metaforicamente bem trabalhado e feito com alma (subentenda-se "fígado" rsrs).

Li e deixei meu rastro!!

beijo

Carol

ana wagner disse...

Maravilhoso poema, Maria Eugênia! Forte e sensual. Belo também o teu blog. Parabéns! beijo